10 Perguntas para… Maria Helena Mota

maria helena mota1
Difícil pensar em um autor ou autora que não goste de livros. Alguns precisam de bibliotecas gigantescas em casa; outros, de um eReader com bastante espaço para armazenar centenas deles. Com dois livros publicados em formatos impressos e também eletrônicos, a autora Maria Helena Mota se apaixonou pela escrita desde que, na sua juventude, trabalhava em uma biblioteca.

Moradora da cidade de Ourém, na região central de Portugal, a autora é uma colecionadora de sonhos que vão desde conhecer Nicholas Sparks, autor americano de romances como o famoso “Safe Haven” (Um porto seguro, no português do Brasil), e também ver seu trabalho como autora reconhecido.

A paixão pela escrita

Publiquei dois livros: “A Princesa descalça e outras histórias” e “Os milagres ainda existem” – crónicas e histórias de ficção. O primeiro em 2011 e o segundo em finais de 2013. A minha paixão pela leitura é inata. Porém, só pude alimentar essa paixão a partir dos 20 anos quando fui trabalhar perto de uma Biblioteca. Paralelamente à leitura apareceu a paixão pela escrita. De início escrevia pequenas histórias que iam parar ao fundo da gaveta e por aí ficavam até o papel ficar amarelecido. O seu destino foi o cesto dos papéis…

Entre 1973 e 1984 concorri a vários concursos duma revista feminina – Crónica Feminina – (hoje extinta), subordinados ao tema “A minha vida dava um filme”. Enviei 4 histórias que foram publicadas e 3 delas, premiadas. A quarta só dava direito a publicação “Tentativas Literárias.”

Podemos esperar por alguma obra nos próximos meses?
Ando a trabalhar num romance mas não tenho uma data prevista para terminá-lo. Será o meu primeiro romance, pois dos dois já publicados, um é uma coletânea de contos de Natal e o outro, pequenas histórias de ficção e histórias do quotidiano. Penso que comecei pelo mais fácil.
 
E como surgiu a ideia de se tornar uma autora independente? Por quê não ser uma autora com um selo?
A autopublicação independente surgiu depois de ter contactado Editoras Tradicionais. Algumas nem responderam e as que responderam obrigavam-me a comprar 500 obras impressas com uma tiragem de 1500 livros. Caso a editora não vendesse, eu teria que ficar com os restantes livros. Foi a partir daí que comecei a pesquisar na internet para encontrar uma maneira de publicar online.
 
Mas a autopublicação também traz em si dificuldades. Entre elas, o que você considera como seu “ponto fraco”?
Entre as maiores dificuldades, para mim, está a divulgação. Mesmo divulgar online não é fácil, pois não estou familiarizada com isso. É um processo mais demorado. 
 
E como surgiu o XinXii na sua vida? Quais foram os critérios de escolha da nossa plataforma?
A plataforma Xinxii eu “descobri” ao acaso, pesquisando pelas plataformas na internet. É claro que encontrei outras, mas medindo os prós e os contras em relação às facilidades como o sistema integrado de distribuição que o XinXii oferece, optei pela vossa plataforma.
milagres

princesa

 

Marketing de vendas – um processo nada fácil

Como não conheço as estratégicas de Marketing por não ter estudado isso, vou publicando no meu blog os excertos dos livros e pequenos resumos, que também envio para todas as redes sociais onde estou inscrita. O retorno é demorado; é um processo lento mas eu näao desisto.
Você daria um conselho para os autores independentes?
Aos autores que estão iniciando, eu diria quea autopublicação talvez seja o único ou – quem sabe – o primeiro passo para que as suas obras sejam conhecidas e editadas por uma “grande editora”. Eu sei que há muito bons autores independentes, mas, como é do conhecimento geral, as editoras só publicam autores célebres, conhecidos e reconhecidos. Portanto, é uma luta incessante, mas nada nada desmerecida.
 
Quais livros você citaria como importantes para você?
Se tivesse que escolher 4 livros de cabeceira, o primeiro seria Jane Eyre (romance deCharlotte Brontë), O triunfo de Rosália (Marjorie Cooke), Vai onde te leva o coração, (Suzanna Tamaro) e o último, O diário da nossa paixão (Nicholas Sparks). Este último eu gostaria de conhecer pessoalmente. Ele Já publicou 40 obras e eu já li algumas e adorei.
 
Podemos contar com novos projetos de Maria Mota enquanto autora?
Dizem os entendidos que devemos viver um dia de cada vez. Por um lado eles têm razão. Na minha opinião, podemos não fazer planos a longo prazo mas, creio que todos os seres humanos têm sonhos. São eles que nos dão alento para continuar, por vezes, “a remar contra a maré.” E eu gostaria muito de poder continuar a escrever. Adoro.

Maria Helena Mota por Maria Helena Mota

Reconheço que a minha escrita é uma escrita simples para leitores também simples. Porém, ela pode ser lida por leitores de todas as faixas etárias. E muito importante: o que eu escrevo é ditado pelos meus sentimentos. Escrevo com a alma e o coração. Sei que nada posso fazer, com a minha escrita, para mudar o mundo. No entanto, em cada história exsite uma mensagem que nos convida a refletir sobre a nossa maneira de ser, de pensar, de agir e de estar na vida. 
Obrigada a autora pela entrevista concedida e continuaremos juntos no seu trabalho!

Para conhecer mais sobre a autora –> 

Xinxii – http://www.xinxii.com/adocs.php/pt?aid=43662
Bloghttp://www.o-cantinhodasletras.blogspot.pt
Facebookhttp://www.facebook.com/lena.mota.39
Google +http://www.plus.google.com/u/O/+MariaHelenaMota/posts
Tweeter – http//www.twiteer.com/06luana16
Dihitthttp.www.dihitt.com.br/mariahelenamota
LinkedInhttp://www.linkedin.com/?trk=nav_log
Anúncios

Um comentário sobre “10 Perguntas para… Maria Helena Mota

Comente este post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s